PESQUISA

Participe da votação sobre os melhores canais de divulgação científica em português na internet.

terça-feira, 8 de junho de 2010

Ciência em carne e osso

A exposição 'Corpos' na Oca do Ibirapuera em São Paulo traz corpos humanos preservados pela técnica da plastinação - com o uso de resinas plásticas. A exibição vai até 8 de agosto.

Mas há também uma pequena coleção em museus e exibições privadas de partes de corpos de cientistas famosos espalhada mundo afora.

------------------
Bexiga de Spallanzani. No Museu de História da Universidade de Pávia, na Sala Scarpa, entre outras peças, encontra-se a bexiga deformada por um câncer de próstata de Lazzaro Spallanzani, padre e fisiologista de Pávia (aquele das calças anticoncepcionais de sapos).

Cabeça de Scarpa. Na mesma sala em que se encontra a bexiga de Spallanzani, a cabeça do cientista que dá nome ao local: o oftalmologista italiano Antonio Scarpa, é mantida em uma caixa.*

Crânio de Cope. O paleontólogo americano Edward Drinker Cope que, contra Othniel Charles Marsh, protagonizou a Guerra de Ossos - uma corrida (um tanto destrutiva) na busca de ossos de dinossauros -, tinha seu crânio na coleção do Museu de Antropologia e Arqueologia da Universidade da Pensilvânia. Os fotógrafos americanos Louis Psihoyos e John Knoebber em seu livro (Hutting Dinosaurs) relatam que teriam levado o crânio de Cope para o paleontólogo americano Robert T. Bakker descrevê-lo e propor como espécime tipo da espécie Homo sapiens. A Universidade da Pensilvânia duvida que o crânio apresentado por Psihoyos seja de Cope e dá o espécime como perdido. (Em 1959, W.T. Stearn em um artigo no Systematic Zoology propôs que o próprio Lineu fosse designado como espécime tipo.)

Cérebro de Einstein. O médico patologista Thomas Harvey subtraiu o cérebro do famoso físico alemão naturalizado americano durante a autópsia e o guardou por mais de 40 anos. O escrito de ciências Michael Paterniti narra em um livro (Driving Mr. Einstein) sua aventura ao dirigir levando, a pedido do Dr. Harvey, de volta o órgão para a neta de Einstein.

Cérebro de Broca. A massa encefálica do médico e antropologista francês Paul Broca encontra-se em exposição no Museu do Homem em Paris. O finado astrofísico americano Carl Sagan conta as reflexões trazidas à sua mente quando foi atrás da peça (Broca's Brain).

Cérebro de Babbgage. Parte do cérebro do matemático britânico (e pai da máquina analítica, predecessor mecânico do computador, que só teria um protótipo funcional criado a partir de seu projeto séculos após sua morte, mas para o qual Ada Lovelace desenvolveria o primeiro computador antes mesmo de vir a existir fisicamente) Charles Babbage era exibida na galeria matemática do Museu de Ciências de Londres. Outra, fica no Museu Hunteriano do Royal College of Surgeons.*

Corpo de Bentham. O filósofo utilitarista inglês Jeremy Bentham tem seu corpo preservado sentado em um cadeira no Claustro Sul da University College London. A cabeça original foi substituída por uma réplica em cera sobre o corpo, enquanto aquela repousa no chão, entre os pés do corpo de Bentham.*

Dente e polegar de Galileu. O colecionador italiano Alberto Bruschi adquiriu em outubro de 2009 algumas relíquias religiosas. Em meio aos objetos encontrou um dente e um polegar que descobriu serem do matemático e astrônomo de Pisa. Outro dedo e uma vértebra também foram conservados.
------------------

À medida em que eu encontrar mais informações, esta lista poderá crescer.

*Upideite(31/out/2015): adido a esta data.

2 comentários:

Ulisses Adirt disse...

Quer umas informações fresquinhas sobre o calcanhar de São Pedro? ;-)

none disse...

Salve, Adirt,

Hmmm, prefiro mais conseguir a mão da Megan Fox em casamento, rere.

Mas, a sério, se souber de outras partes de cientistas que estejam em exibição separada do restante do corpo, por favor, avise aqui - e acrescentarei a esta postagem meio macabra.

Valeu pela visita e comentário.

[]s,

Roberto Takata

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails