PESQUISA

Participe da votação sobre os melhores canais de divulgação científica em português na internet.

domingo, 9 de outubro de 2016

Divagação científica - divulgando ciências cientificamente 27

Minhas anotações do artigo de Eveland & Cooper (2013) onde os autores apresentam um modelo integrado da influência dos meios de comunicação sobre as crenças a respeito das ciências.

---------------
Eveland, W.P.Jr. & Cooper, K.E. 2013. An integrated model of communication influence on beliefs. PNAS 110:14088–14095.

Padrões das Informações Científicas no Conteúdo das Mídias
.a maior parte dos artigos científicos na imprensa são sobre saúde e medicina;
.cobertura de um tópico científico na mídia varia de mídia para mídia (e.g. telejornal ou jornal impresso; telenovela ou romance), de local para local, ao longo do tempo e de acordo com o tópico;

Padrões de Seletividade na Exposição Midiática
.a escolha das mídias através das quais obter informação e entretenimento varia de indivíduo;
.essa escolha sofre influência do status socioeconômico do indivíduo (p.e. indivíduos com renda e educação mais altas consomem mais informação veiculadas por meio de jornais do que indivíduos de menor renda e escolaridade);
.também é influenciada pela visão política (pessoas com tendências mais conservadores procuram mais mídias com visões alinhadas a elas; indivíduos com visão mais liberal tendem a procurar mídias e programas igualmente mais liberais);
.idade e sexo também influem. Homens e mais velhos (e de maior renda e escolaridade) tendem a consumir mais notícias do que entretenimento.

Indícios de impacto das mídias
.Modelo de Mediação Cognitiva
.importância da motivação em dirigir o nível de processamento de informações em que os indivíduos se engajam com a exposição à mídia e a importância do processamento da informação na aprendizagem através da mídia;
.a motivação sozinha não leva ao conhecimento; ela leva ao conhecimento através do encorajamento da atenção ao conteúdo relevante da mídia e à elaboração dela, aumentando a probabilidade de sua memorização e recuperação posterior da informação;
.o conhecimento adquirido através da mídia influencia no processamento de novas informações mediadas;

Hipótese do Desvão de Conhecimento ('knowledge gap')
.o impacto da mensagem midiática no conhecimento e crença dos indivíduos não é uniforme em todos os segmentos da sociedade;
.indivíduos com maior status socioeconômico (SSE) - principalmente com maior nível educacional - aprendem de modo mais rápido e efetivo as informações mediadas;
.a educação tanto guia a comunicação (uso da mídia e discussão da informação) quanto modera seu efeito - com maior efeito entre os de nível educação maior: com o tempo pode aumentar o desvão de conhecimento entre os grupos;
.a motivação tem efeito similar ao SSE: utilidade da informação baseada na necessidade e desejos guiam sua busca e retenção;
.o desvão pode ser tanto aumentado quanto diminuído de acordo com as formas de comunicação;

Teorias de Cognição Cultural/Hipótese do Desvão de Crença ('belief gap')
.teorias da cognição cultural: papel dos valores na moderação da influência das mídias;
.indivíduos são avarentos cognitivos: realizam o menor esforço mental possível para atingir um objetivo;
.assim lançam mão pesadamente de esquemas culturais para realizar o processamento informacional;
.os valores modelam e enviesam os pensamentos;
.a mesma informação é processada de modo diferente por indivíduos com valores diferentes - ajustam a nova informação aos valores que possuem previamente;
.hipótese do desvão de crença: efeito similar à hipótese do desvão de conhecimento, mas com ideologias políticas fazendo o papel do SSE;
.na medida em que uma questão política é politizada, as diferenças nas crenças entre os diferentes grupos de ideologia política aumentam com a maior atenção midiática ao tema;

Hipótese dos Ganhos Diferenciais/Hipótese da Interação Intramidiática ('differential gains/intramedia interaction')
.hipótese dos ganhos diferenciais: influência do uso de mídia é determinada em parte pela presença ou ausência de discussão interpessoal;
.a discussão de um tópico encontrado na mídia melhora a compreensão e aumenta a lembrança posterior da informação;
.hipótese da interação intramidiática: o impacto do uso da mídia entre diferentes fontes e canais não tem efeito somente aditivo;
.o impacto de uma fonte (p.e. FoxNews vs CNN) ou forma (p.e. CNN vs CNN.com) depende de qual outra fonte/forma é utilizada também;
.uso de fontes redundantes leva um retorno diminuído ao invés de aditivo, uso de fontes diversas complementares pode levar a um efeito aditivo ou sinergístico;

Mediação Intramidiática/Intracomunicacional ('intramedia/intracommunication mediation')
.mediação intramidiática: as formas de comunicação não são contribuidores independentes do efeito da mídia, mas trabalham em conjunto na produção do efeito;
.uma forma de comunicação pode levar ao uso de outra forma de comunicação, assim o impacto da mídia na crença pode ser ao mesmo tempo direto e mediado (ao usar outra forma de comunicação) (p.e. ver a notícia de uma descoberta científica no telejornal matinal pode levar à busca de mais informações - ou de visão diferente - sobre o tema em outros sites noticiosos);
.mediação intracomunicacional: o mesmo efeito pode se dar entre os usos das mídias e as discussões interpessoais;
.o efeito da mídia de massa pode incitar discussões interpessoais alterando as crenças em última instância ou antecipação de discussões pode levar a um uso preparatório da mídia, também alterando as crenças;

Modelo de Espirais de Reforço ('reinforcing spirals')
.modelo de espirais de reforço: reciprocidade entre a seleção de mídia e os efeitos;
.embora o uso de mídias possa alterar as crenças científicas, certas crenças científicas pode influenciar a extensão de uso de mídia, bem como levar a exposição seletiva de certas mensagens midiáticas;

Modelo Estendido da Probabilidade de Elaboração e Modelo de Superação da Resistência pelo Entretenimento ('Extended Elaboration Likelihood Model/Entertainment Overcoming Resistance Model')
.modelo estendido da probabilidade elaboração: salienta a ampla gama de motivações na seleção de diferentes formas de mídia e na implicação dessas motivações sobre como as informações são processadas;
.modelo de superação da resistência pelo entretenimento: a partir do EELM, procura explicar como certas características do conteúdo narrativo da mídia (como programas de ficção da TV e filmes) podem superar a resistência a mensagens embutidas;
.quando indivíduos estão conscientes de uma mensagem, eles podem resistir a elas pela reatância (resistência à pressão da mensagem para a mudança) e contra-argumentação (produção de pensamentos que contradizem a mensagem persuasiva);
.mídia de entretenimento pode reduzir essas formas de resistência pelo maior envolvimento com a narrativa;

Hipótese da Cultivação ('cultivation')
.hipótese da cultivação: quanto mais tempo um indivíduo passa no mundo de uma mídia, mais suas crenças sobre o mundo real serão similares ao conteúdo do mundo dessa mídia;
.o uso intensivo de uma mídia correlaciona-se positivamente com a posse de crenças consistentes com a mídia, a despeito da representação da realidade dessa mídia ser ou não objetivamente correta.

Modelo Integrado da Influência da Comunicação sobre Crenças (Científicas): IMCIB


Figura 1. Modelo Integrado de Influência da Comunicação sobre Crenças. Fonte: Eveland & Cooper 2013.

Antecedentes ('priors'): fatores mais ou menos estáveis e de longa duração que podem ter pelo menos uma influência indireta (por meio da exposição comunicativa e processamento) sobre as crenças;
.sociodemografia: sexo, renda, raça, nível educacional...
.ideologia política;
.motivação: interesse em um tópico em particular, temas relevantes para o emprego, desejo de fazer uma escolha acertada (e.g. eleições e compras);
.afetam a crença através da exposição à comunicação e processamento ou por variáveis que diminuem ou aumentam o impacto da exposição à comunicação e processamento, podem ter efeitos direitos também;

Efeitos diretos da comunicação: efeitos simples e direitos sobre a crença são esperados desde que a mídia veicule um mínimo de informações relevantes para a crença;
.os estudos sobre o efeito da mídia na crença devem apresentar dados empíricos ou premissas explícitas sobre a natureza do conteúdo da mídia;

Processos de mediação: embora alguns efeitos diretos sejam esperados, a maior parte deve se dar por processos mediados:
1) a maior parte da mediação deve se dar pelo processamento das informações, ainda que algum aprendizado automático e não intencional possa ocorrer;
2) o uso de uma forma de comunicação tem impacto no uso de outras formas;
3) informação mediada pode estimular discussão interpessoal ou antecipação de discussões pode levar à busca de informações na mídia;

Processos moderadores: exposição a determinadas formas de comunicação são mais efetivas para certos subgrupos (como com maior SSE e educação);
.maior eficiência quando a informação é consistente com valores preexistentes (por exposição seletiva e por haver maior tendência à contra-argumentação para informações dissonantes);
.a contra-argumentação pode variar de acordo com o formato (noticário, entretenimento, publicidade...);
.o efeito da exposição à mídia pode ser amplificado pela presença de discussão interpessoal relacionada;
.exposição a mídias redundantes pode levar a um retorno diminuído, se complementares o efeito pode ser sinergístico;

Causalidade recíproca: muitos dos processos acima, ao menos em parte, são influenciados por alças de retroalimentação;
.a construção de um conjunto de crenças facilita o processamento e compreensão de futuras mensagens similares;
.a crença derivada da comunicação pode levar à alteração de valores e ideologias, e da exposição futura à comunicação;

Questões sobre a aplicabilidade do IMCIB
.validação dos testes de auto-resposta de processamento cognitivo;
.validade ('validity') e confiabilidade ('reliability') dos métodos de pesquisa de opinião quanto à exposição à mídia;
.necessidade de painel a ser testado ao longo do tempo: qual o intervalo para as medições? dificuldades para projetar e implementar os painéis pelas relações de ganhos e perdas de informação;
.cautela com modelos estatísticos ao avaliar simultaneamente todas as sub-hipóteses presentes no IMCIB - os testes devem ocorrer contra modelos alternativos explícitos e não apenas de ajustes de dados contra o IMCIB;
.a formulação atual do IMCIB é em nível de efeito individual;
.o IMCIB foi elaborado com base em um contexto cultural específico, com os subprocessos modelados para indivíduos de culturas ocidentais, educadas, industrializadas, ricas e democráticas.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails