PESQUISA

Participe da votação sobre os melhores canais de divulgação científica em português na internet.

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Um milagre de Natal: Super se desculpa por matéria negacionista da relação HIV/Aids

Oquei, não é Natal (mas quase), não é um milagre (mas quase), mas é algo a comemorar.

Fiquei sabendo pelo @evolucionismo que a revista Superinteressante finalmente se retratou por dar espaço para a tese de Peter Duesberg de que a Aids não seria causada pelo vírus HIV.

Diz a nota:
"UPDATE: dezembro de 2013
A SUPER gostaria de fazer um esclarecimento. Em 2000, publicamos uma entrevista com o biólogo e químico Peter Duesberg, que defendia a tese de que a aids não era causada pelo vírus HIV. A entrevista foi conduzida por Flavio Dieguez, um dos maiores jornalistas científicos que já trabalhou conosco, e está fundamentalmente correta. Mas, ao longo dos últimos 13 anos, as teses de Duesberg caíram em descrédito e hoje temos muita clareza de que não deveríamos ter dado espaço a elas. Em parte esse descrédito se deve à tragédia de saúde pública que se abateu sobre a África do Sul, país que adotou as ideias de Duesberg em suas políticas de combate à aids. O resultado foi que o vírus se disseminou. Gostaríamos então de afirmar que, aqui na SUPER, não temos mais dúvidas de que a aids é causada pelo HIV e de que todo cuidado para evitar a transmissão desse vírus é fundamental para a saúde pública. Percebemos que esta entrevista foi redescoberta e está circulando nas redes sociais. Que fique claro que não concordamos com as ideias expressas nela.

Um abraço,
Denis R Burgierman
Diretor de redação
Superinteressante"
---------

Minha sugestão é que essa nota fosse colocada no cabeçalho da entrevista - que eu entendo que seja mantida no sítio web para fins de arquivamento e documentação.

Só tem um erro, não é que a hipótese química da Aids tenha caído em descrédito nos últimos 13 anos - nunca teve qualquer crédito (salvo, talvez, no início dos anos 1980 antes de isolarem o vírus HIV).

Sei que a culpa não é de Flavio Dieguez - não a principal pelo menos. O maior culpado dessa barbeiragem histórica da Superinteressante é de Adriano Silva, editor-chefe da revista durante o período, cujo único objetivo era turbinar as vendas da revista, introduzindo um período negro em que o veículo abraçava toda sorte de pseudociências - como teses antivacinistas

Na época publiquei um texto no Observatório da Imprensa sobre a entrevista e uma outra matéria negacionista do papel do HIV mostrando os principais indícios da relação causal entre o HIV e a Aids. Infelizmente esse texto não está mais disponível (refutando a tese comum de que tudo o que cai na rede fica para sempre).

De todo modo, fique aqui o meu registro (até dar uma nove horas no Google e ele desistir do blogspot): parabéns a Denis Russo Burgierman por este quase milagre de resgatar a credibilidade da Super - jogada na lama durante a gestão Adriano Silva. Quase posso ouvir, entre o tilintar de sinos e farfalhar de agulhas de pinheiros, um distante e amistoso: Ho-ho-ho.

3 comentários:

Alexandre disse...

Vai haver um momento em que haverá esse tipo de retratação pelos negadores do Aquecimento Global. Ou talvez não: é provável que seja mais na forma de "nós nunca negamos o problema". De todo modo, a atitude da Superinteressante é rara e digna de elogio.

Quanto ao teu artigo no Observatório da Imprensa: já experimentou procurar no Wayback Machine?

none disse...

Salve, Alexandre,

Sim, já procurei. Infelizmente não tem lá.

Valeu pela visita e comentários.

[]s,

Roberto Takata

Angela Freemane disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails