PESQUISA

Participe da votação sobre os melhores canais de divulgação científica em português na internet.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Um conto de Carnaval: O dia em que Richard Feynman desfilou em uma "escola de samba" no Rio

Not Richard Feinman (sic). Crédito: @oatila.
Depois de uma rápida passagem em 1949, Richard Feynman retornou o Brasil lecionando eletromagnetismo por 10 meses no recém-fundado Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas, no Rio de Janeiro.

Conversando com um funcionário da embaixada dos Estados Unidos, comentou que, em sua primeira estada no Brasil, tomou contato com o samba. O homem disse que tinha um grupo que se reunia em seu apartamento para ensaiar e o convidou.

No Carnaval, Feynman saiu nos "Farsantes de Copacabana" tocando um instrumento hoje raramente utilizado: a frigideira. Em suas memórias, "O Senhor Está Brincando, Sr. Feynman?" (ou “Deve ser Brincadeira, Sr. Feynman!”, na edição da Editora da UnB), o cientista chama o bloco de "escola de samba".

Os Arquivos da Caltech têm uma fotografia que registra Feynman fantasiado no Carnaval carioca em 1952 (não sei se ele estava fantasiado em diabão).

Não seria o último festejo por estas paragens. Em edição de 24/fev/1966, o Jornal do Brasil, registra, entre outros flagrantes da comemoração de Momo, "Feygman: [sic] Premio Nobel de Física, entre pernas e garrafas" (página 2, Caderno B) - tocando agora, não uma frigideira, mas um tamborim. (Veja mais detalhes dessa passagem no Nightfall in Magrathea de Alan Mussoi.)

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails