PESQUISA

Participe da votação sobre os melhores canais de divulgação científica em português na internet.

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Mala Influenza 19

Alguns estudos têm indicado uma associação causal entre certos tipos de vacinas contra o vírus pH1N1 que levam o adjuvante AS03 com um aumento na incidência de narcolepsia infanto-juvenil. O risco é estimado entre 1:57.500 e 1:52.000 (casos de narcolepsia por dose aplicada). (Miller et al. 2013)

São necessários estudos mais aprofundados para estabelecer bem essa conexão e as eventuais causas (o suspeito maior é o adjuvante).

Há motivos para preocupação, mas não para pânico. E muito menos para se deixar de vacinar: há outras vacinas disponíveis que levam outros adjuvantes.

No caso do vírus da gripe pandêmica de 2009, a taxa global de infecção foi estimada entre 11 e 21%: 16-28% das crianças até 5 anos; crianças e adolescentes entre 5 e 19 anos: 34-43% , em adultos: 12-15% e em idosos (60 anos ou mais): 2-3%. (Kelly et al. 2011)

No mundo, estima-se que 284.400(151.700–575.400) morreram em decorrência da gripe pandêmica de 2009. Entre jovens de até 17 anos: 44500 (22.400–80.100) mortes; entre 18 e 64 anos: 183.700 (98.800–342.200) mortes. E 56.400 (30.500–233.700) mortos com mais de 64 anos. (Os valores entre parênteses indicam a variação das estimativas.) As razões de mortalidades entre os casos sintomáticos foram de: 1:20.000 (até 17 anos), 1:3.500 (de 18 a 64 anos), 1:806 (acima de 64 anos). (Dawood et al. 2012.)

A vacina monovalente contra o pH1N1 teve uma eficiência entre 71,9% (intervalo de confiança a 95%: 45,6–85,5%). (Valenciano et al. 2011)

Sem vacinação, o risco de morte por gripe pandêmica na faixa entre 4 e 18 anos era entre 1:47.000 e 1:59.000 indivíduos, e de narcolepsia de 1:238.000 indivíduos. Com vacinação, o risco de morte cai para algo entre 1:165.500 e 1:209.300, e o de narcolepsia sobe para 1/16.500.

Certamente os casos de narcolepsia são preocupantes e é um drama familiar que deve ser levado em conta. E isso deve conduzir a estudos para melhoria das vacinas, especialmente as que atualmente usam o adjuvante AS03 (caso a ligação causal seja confirmada - mas até lá, por precaução, pode-se recorrer a vacinas testadas com formulações diferentes). Mas, nem de longe, mesmo com eventual confirmação, será argumento contra as vacinas antigripais em particular e vacinas em geral - mesmo que todas as vacinas tivessem a mesma formulação e probabilidade de indução ao desenvolvimento da narcolepsia, a redução da mortalidade certamente mais do que compensa o risco. (Naturalmente, as políticas públicas de saúde, incluindo as campanhas vacinais, devem ser pautadas em análises a respeito de riscos com base nos melhores dados disponíveis.)

Referências
Dawood, F., Iuliano, A., Reed, C., Meltzer, M., Shay, D., Cheng, P., Bandaranayake, D., Breiman, R., Brooks, W., Buchy, P., Feikin, D., Fowler, K., Gordon, A., Hien, N., Horby, P., Huang, Q., Katz, M., Krishnan, A., Lal, R., Montgomery, J., Mølbak, K., Pebody, R., Presanis, A., Razuri, H., Steens, A., Tinoco, Y., Wallinga, J., Yu, H., Vong, S., Bresee, J., & Widdowson, M. (2012). Estimated global mortality associated with the first 12 months of 2009 pandemic influenza A H1N1 virus circulation: a modelling study The Lancet Infectious Diseases, 12 (9), 687-695 DOI: 10.1016/S1473-3099(12)70121-4

Kelly, H., Peck, H., Laurie, K., Wu, P., Nishiura, H., & Cowling, B. (2011). The Age-Specific Cumulative Incidence of Infection with Pandemic Influenza H1N1 2009 Was Similar in Various Countries Prior to Vaccination PLoS ONE, 6 (8) DOI: 10.1371/journal.pone.0021828

Miller, E., Andrews, N., Stellitano, L., Stowe, J., Winstone, A., Shneerson, J., & Verity, C. (2013). Risk of narcolepsy in children and young people receiving AS03 adjuvanted pandemic A/H1N1 2009 influenza vaccine: retrospective analysis BMJ, 346 (feb26 2) DOI: 10.1136/bmj.f794

Valenciano, M., Kissling, E., Cohen, J., Oroszi, B., Barret, A., Rizzo, C., Nunes, B., Pitigoi, D., Larrauri Cámara, A., Mosnier, A., Horvath, J., O'Donnell, J., Bella, A., Guiomar, R., Lupulescu, E., Savulescu, C., Ciancio, B., Kramarz, P., & Moren, A. (2011). Estimates of Pandemic Influenza Vaccine Effectiveness in Europe, 2009–2010: Results of Influenza Monitoring Vaccine Effectiveness in Europe (I-MOVE) Multicentre Case-Control Study PLoS Medicine, 8 (1) DOI: 10.1371/journal.pmed.1000388

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails