PESQUISA

Participe da votação sobre os melhores canais de divulgação científica em português na internet.

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Há uma crise nos blogues brazucas de ciências? - 4

Continuando a organizar a discussão, aqui deixo as contribuições via facebook.

-------------
Na discussão no FB na postagem do Carlos Hotta (selecionei só parte dos comentários, que dizem respeito mais diretamente aos blogues de ciências):

Carlos Hotta Acho q o SBBr diminuiu a linkagem p/ blogs fora da rede. Visibilidade dá falsa impressão de saturação da comunidade. A comunidade deu uma fechada. Há a sensação de que tudo já é discutido pelo site.

Rafael Bento Soares Não vejo o menor indício para este argumento do SbBr ter influencia nisso. Gostaria que isso fosse verdade até, pq seria sinal de ter um poder e alcance que não temos. Dentro do SbBR a coisa já tá feia. Muita noticia passa batida sem ninguem comentar, e nao temos essa visibilidade toda, vcs sabem. Linkagem interna eu aposto que não fica acima da média entre posts de dentro e de fora do SbBr. Algumas contribuições: 1- O blog enquanto mídia atingiu seu plato, simples assim. É importante,estará sempre lá, mas nao cresce mais. Talvez ate caia um pouco até estabilizar. 2- leitores estão se satisfazendo com info, ou se distraindo, com o facebook. 3- É uma crise mundial na divulgação cientifica! Em congresso recente os top bloguers são os mesmos de 5 anos atrás(tempo que é uma eternidade no meio digital). A coisa mais surpreendente que apareceu foi no facebook, o I F* Love Science. Tudo está muito parado. Pessimistas podem pensar que ninguem quer saber disso mesmo, otimistas pensam que é a calmaria antes de alguma coisa nova e revolucionária.

Luiz Bento Gráfico do artigo que publicamos com dados do Research blogging (todas as línguas). Tenho certeza que se colocarmos 2012 e 2013 a situação vai ser ainda pior.

http://www.plosone.org/.../10.1371/journal.pone.0050109...

www.plosone.org

Rafael Bento Soares Aliás, perceba onde está acontecendo essa discussão: não na seção de comentários do seu blog, e sim no facebook. Isso é importante pq desestimula escrever se ninguém comenta abaixo, então o impeto de quem quer escrever é saciado no face mesmo.

João Carlos Antes de postar aqui, postei no Brontossauros. Repetindo o essencial: sinto falta do Roda de Ciência, mas - por minha própria experiência - constato que o mais difícil é conseguir consenso para blogagens coletivas. Tanto faz ser dentro do SBBR, como em um âmbito mais abrangente.

Carlos Hotta O Facebook é uma ferramenta melhor para se ter conversas. Mas muitos blogs prosperaram via Facebook e Twitter.

Roberto Takata Lembro que no 2o euclipo comentou-se rapidamente sobre a queda nos índices do tecnorati. OOsame Kinouchi sugeriu que era porque a interação estaria indo pro twitter, sem crosslinks indexados.

Kentaro Mori Está todo mundo no Facebook, até os cientistas. É coincidência que a produção e audiência de blogs caiu enquanto temos comunidades no Facebook relacionadas a ciência com mais assinantes do que qualquer site de ciências já teve de visitantes em um só mês? Não: http://www.slideshare.net/...


Roberto Takata Mas os que reduziram seu ritmo de blogagem estão publicando mais no FB? Os novos que publicam no FB têm um ritmo igual ou superior de publicação em relação aos blogueiros em 2009?

Kentaro Mori São dois (ou mais) "fenômenos": o principal é que são raríssimos os autores que conseguem manter uma produção estável por longos períodos sem uma motivação financeira, em qualquer meio.

Kentaro Mori O fenômeno secundário que é o que discutimos são os blogs, e eles são uma das ferramentas que facilitaram a divulgação -- e, apenas como um leve empurrão, incentivaram a própria produção -- de autores em uma fase de alguns meses a alguns anos em suas vidas. Mas como fenômeno secundário, como ferramenta para incentivar e divulgar conteúdo, o Fb como um todo com certeza se mostrou uma ferramenta que atrai um leque maior de autores, todo mundo é autor, criador. Uma das satisfações não financeiras de ter um blog era o retorno dos leitores, e o Fb permite essa gratificação de forma muito, muito mais fácil.

Kentaro Mori Há comunidades de entusiastas de ciência no Facebook com mais colaboradores, audiência e produção de conteúdo que o SbBr jamais teve. Acho que ordens de grandeza maiores, chuto que superando em termos absolutos de engajamento até grandes sites mainstream de antigamente como a SUPER. Hoje, até os blogs de veículos grandes como a Super têm pouco engajamento -- ou, continuam como sempre estiveram.

Kentaro Mori Da mesma forma que a tecnologia produziu essa coisa fantástica que eram os blogs, de você poder publicar conteúdo e ter ele acessado por qualquer pessoa, e poder ser encontrado pelo Google; agora a tecnologia produz essa coisa bizarra que é todo mundo em redes sociais fechadas, com conteúdo cheio de restrições, em plataformas que fazem o máximo para evitar que você deixe a própria plataforma. E vamos ter uma outra fase, com outras características, só não sei se vai ser melhor, pior, ou quando vai chegar...

Carlos Hotta Bom, estou interessado para ver o que irá acontecer no próximo "evento científico" tipo o H1N1. Quero ver se os blogs de Ciência têm algum valor de viralização.

Thiago Henrique Santos Se vale de alguma coisa, não acho que o SbBR tem culpa no processo, concordo que há uma sensação de comunidade fechada pra quem está de fora mas acho que por si só isso não é o suficiente pra inibir que novos blogs se formem "do lado de fora". 

Realmente não sei qual é o problema e, pra ser honesto, nunca parei pra pensar nisso. Só posso dizer da minha experiência. OPolegar Opositor está quase que abandonado pq eu não tenho mais o tempo que tinha pra atualizar o site. Em 2009 (ou 2008? Não sei mais) cheguei a publicar 3 textos por semana por meses sem parar. Depois a produção caiu, eu fiquei mega ocupado com o mestrado (o que, verdade seja dita, acabou rendendo outros tantos post's no blog). Minha própria motivação de escrever o blog mudou logo cedo, os textos de divulgação deram lugar aos textos que discutiam divulgação, depois veio a coisa da ciência 2.0 e etc.

Além da falta de tempo eu sinto mesmo que entrei num certo esgotamento. Raramente penso em assuntos complexos como algo que eu gostaria de elaborar em um texto pro Polegar e, mesmo quando isso acontece, dificilmente eu consigo levar o esforço de escrever até o fim. Em geral, perco o interesse antes de terminar o texto. Quanto a isso, gosto de culpar o mestrado, digo que foi um esforço intelectual tão grande que meu cérebro entrou em modo "férias por tempo indeterminado", mas eu sei que é mais que isso.

Enfim, ver o Polegar lá tão paradão me dá um sentimento de culpa perpétuo. Eu fico triste com isso, mas estou realmente sem meios de mudar a situação... #chatiado

Rubens Pazza Uma possível saída para este beco do Fb x blogs é o misto, ou seja, a publicação no blog repercutida por uma publicação no Fb. A propagação acontece via mídias sociais, onde também acontecem mais discussões e comentários. Algumas ferramentas inclusive permitem que os comentários do Fb sejam publicados diretamente no blog...

Isis Rosa Nobile Diniz Lendo a discussão, podemos chegar a uma conclusão: de modo geral, quem escrevia sobre ciência estava na faculdade ou era recém-formado (ou, por algum motivo, "tinha tempo" para tal). Os jovens de hoje nessa idade estão se dedicando ao Facebook. Eu, mesmo que falando para "ninguém", continuo escrevendo para o blog. Estou até com uma série sobre a Patagônia. Sei lá, acho que é uma maneira de deixar registradas informações que podem, quem sabe um dia, ajudar alguém. Além de ajudar a mim mesma a compartilhar todas essas ideias. Uma necessidade minha da comunicação.

Lucia Malla Acho uma tristeza acumular conteúdo no FB, pq ele é um buraco negro mesmo, onde o conteúdo é mega-efêmero e biased por mecanismos que só tio Mark entende. E está atrás de login/pswrd, o q me dâ desconforto. Mas vejo tb um esgotamento dos blogs, cansaço mesmo, parece que foram drenados pela falta de audiência. Curiosa pelo que pode vir pela frente, nesse cenário.

Luis Brudna O Lattes, CNPq e amigos até tentam dar uma valorizada em blogs e produções semelhantes, mas não existe uma forma de dar um valor relevante a um bom blog. Então o que ocorre é que parece ser mais produtivo se a pessoa cria trocentos blogs, twitter, facebook, etc com pouco conteúdo em cada. Se gor apenas um blog repleto de conteúdo interessante, contará como ´cara que tem só um blog´.

Luis Brudna Suspeito que dá pra fazer uma longa lista de blogs (e assemelhados) que foram usados apenas para gerar algum trabalho em congresso ou publicação "uso de blog na disciplina XYZ para ZZY", criam o blog, publicam sobre ele e depois abandonam para repetir o processo.

Shridhar Jayanthi No meu caso, o abandono veio da percepção de que questões que eu considero interessantes não eram questões que o público engajava. Eu tinha um número razoável de leitores mas pouquíssimos eram os que comentavam. A direção do meu blog mudou de "discussão de coisas que me interessam" pra "divulgação científica/educação". No princípio eu até gostei da idéia, mas no final das contas, não funcionou.

Carlos Hotta Acho que os blogs tendem a ter uma data de validade, com louváveis excessões. O esperado seria que sempre tivesse alguns blogs interessantes ativos, quanod estes diminuíssem seu ritmo, outros apareceriam. Atualmente há bons blogs por aí, o problema é que esse número, na minha opinião, deveria ser maior.

Caio Cícero Gomes Do meu lado, eu acabei perdendo o animo com em bloggar sobre ciencia no momento que eu percebi que acaba sendo uma tarefa bastante isolada.

De um lado, como o Shridhar Jayanthi falou, acabamos quase sempre se focando na divulgação ciêntifica, que não
necessariamente são os temas que mais me interessam.

Do outro lado, e o principal, é que os blogs acabaram nunca sendo o ambiente de debate que eu acreditava que seriam. O debate de um post eram os comentários, que sempre se focam em um ponto ou outro, mas nunca acabamos fazendo sequencias de posts que abrangiam temas maiores e diversos blogs com diversos pesquisadores.

Não sei como seria pra resolver isso, mas esse é o principal motivo de ter me desanimado.


Carlos Hotta O blog já foi uma ferramenta mais social. Foi até inventarem ferramentas melhores para isso: Twitter e Facebook. Só que ambos são mais efêmeros e rasos.

Carlos Hotta Bruno, uma das coisas que percebi logo é que os blogs realmente falham ao tentar atuar como substitutos da mídia tradicional. Eles agem em seu melhor quando tentam complementar o que foi publicado ou comentar o noticiado.

Bruno de Pierro E mais do que complementar, ele (o blog) deve desestabilizar.

Roberto Takata Eu aposto mais em um ecossistema de blogues/mídias sociais. Cada qual com suas peculiaridades e objetivos.

Carla Da Silva Almeida Minha humilde opinião: hoje, para se investir em algo que custa tempo, é preciso haver retorno, seja financeiro, seja de visibilidade ou mesmo de satisfação pessoal. Os blogs de ciência não conseguiram ter no Brasil a repercussão esperada; os blogueiros não tiveram o devido retorno – nem financeiro nem de visibilidade –, o que levou a uma certa frustração/insatisfação pessoal e falta de motivação em meio à extrema falta de tempo. Lá fora – na blogosfera em inglês – a história é outra; os blogueiros – antigos e novos – têm tido repercussão interessante e muitos têm retorno financeiro; alguns passaram a viver disso, inclusive (http://cienciahoje.uol.com.br/...). Houve uma profissionalização dos blogs que não acho que vá acontecer por aqui, por muitos motivos, incluindo talvez a falta de público/interesse pra isso. Mas sou otimista: acho que ainda está em tempo de virar o jogo e se tentar uma estratégia diferente na blogosfera brasileira, envolvendo cientistas, jornalistas, outros tipos de divulgadores e demais interessados em falar de ciência, cultura e política.

Maria Guimarães dei uma palestra ontem na embrapa sobre "novas tecnologias de comunicação". citei Carlos HottaLuiz BentoBruno de Pierro. mas o ideal seria mesmo ter posto esta discussão ao vivo. 
estou aqui pensando: a diminuição é mesmo real, tanto em quantidade como qualidade? a gente tem, por exemplo, uma medida de quanto o sbbr produzia antes e agora?


Maria Guimarães não concordo com a oposição facebook/blogs, são coisas distintas. o facebook, vê-se aqui, é a mesa de bar do blog. precisa ver em conjunto. na Pesquisa Fapesp a página do facebook é um bom complemento ao site.

Maria Guimarães será que chegamos a um platô, como acho que o Rafael disse? gente que precisa escrever sobre ciência não dá em árvore. talvez o facebook e o twitter bastem para aqueles que abriam blogues pra reproduzir conteúdo ou dar uns palpites. sobrou quem quer mesmo escrever.

Maria Guimarães no meu caso, comecei a precisar de tempo livre. porque esse tempo ficou mesmo mais escasso e precioso, mesmo antes de ter filho. e escrever no blogue já não supria essa vontade de descansar. continuo tendo vontade de escrever sobre um monte de coisas, mas falta energia. nunca me importei com quanta gente lia nem se fazia sucesso, embora fosse o máximo encontrar interlocutores. era, como disse a Isis, necessidade mesmo de escrever e contar coisas legais. agora pensando, talvez a expectativa de uma certa profissionalização contribua para o cansaço, crie resistência. mas ainda não achei coragem pra fechar o ciência e ideias

Isis Rosa Nobile Diniz Também me sinto como um corredor que encontra uma parede. Conhece a expressão?

Isis Rosa Nobile Diniz Maria Guimarães, quando a gente usa toda a energia para correr e não consegue mais manter, tendo que se superar, acreditar e diminuir o ritmo para continuar.

Claudia Chow Nao acho q exista crise de blogs de ciencia, há uma "crise" de blogs por conta do facebook (to usando a palavra crise na falta de uma melhor). Qdo vcs falam de crise de blogs de ciencia parece pra mim q algum dia fomos algo grandioso, de muito sucesso e super conhecido, discordo totalmente, de verdade fora as pessoas q escrevem no SBBr, seus conhecidos e os q trabalham com divulgacao cientifica nao conheci ninguem q soubesse o q é o Science Blogs, seja o brasileiro ou o estrangeiro. Quem trabalha na Universidade por favor pergunte para os alunos de graduacao qtos conhecem o Science Blogs, se aparecer alguns gatos pingados vou achar sensacional! Tenho q impressao q blog no Brasil nunca foi levado muito a serio...

Felipe Benites o SBBr penso que ficou tão conhecido como uma plataforma para blogs de um assunto específico na internet, quanto poderia ser! claro que é um local onde quem cai lá é quem procura sobre temas da ciência, se não cresce não é por falta de interesse do grande povo, e vamos ter de concordar que o interesse por ciência é isso aí mesmo, existe muito mais hoje do que nós anos anteriores! ciência sempre foi algo para poucos, a algumas decadas atras mal existia financiamento, e cá no brasil mal existia ciência! o que acontece como muitos ja disseram por aqui é que a forma de interação ficou diluída com o facebook, eu mesmo publico imagens e textinhos curtos em forma de postagem no meu perfil pessoal, e atinge um bocado de gente, talvez mais do que se publicasse no blog. Minha "desculpa" é que antes estava com poucas disciplinas da faculdade e trabalhava somente no IC, agora me formei dou aulas em duas escolas e etc, daí como ja divulgo por aqui alguns textos, links e imagens, meio que dá uma desmotivação sim, entrar no wordpress, senha, colocar imagem e editar texto (e é preguiça mesmo, mas que logo vai ter de sumir por que o plano é voltar com maior periodicidade no blog)...bom esses são meus 2 cents por enquanto, mas digo-lhes que o negócio é continuar escrevendo, por que sim, não foi o interesse que diminuiu dos leitores 

Catarina Chagas Trabalho com jornalismo científico. Já tive blog, mas não de ciência. Se valer como testemunho pessoal, deixei de atualizar porque (ó, vida!) deixei de ter tempo, como tantos outros já disseram aí.

Meu blog tinha alguns leitores cativos e alguns visi
tantes, mas nunca decolou e acredito que o motivo seja simples: nunca foi feito para os leitores. Meu blog era feito para mim - para guardar lembranças, compartilhar fotos e textos com amigos, dar notícias à família.

De alguma forma, acho que essa reflexão também poderia ser transposta para a discussão sobre os blogs de ciência. Para quem são feitos? Alguém foi lá perguntar para o público-alvo o que ele queria?

Um tempo atrás li em algum blog (deve ser de um de vocês, acompanho a maioria e peço desculpas por não saber a referência certinha) que a maioria dos blogs de ciência era lida por outros cientistas/blogueiros de ciência. Procede?


Catarina Chagas Em tempo: eu não acho que as pessoas têm que fazer tudo para um público. Acho que elas podem (e devem, e eu mesma fiz) fazer blogs para elas mesmas, mas nesses casos não dá para esperar grandes retornos...

Discussão no Grupo Divulgação Científica e Popularização da Ciência
Dirceu Dias Em um passado não muito distante, coisa de 3 anos iniciei alguns passos em blogue e logo depois acabei desistindo. A desistência se deu em função de tempo. Hoje estou no facebook e considero a ferramenta mais ágil e mais fácil de se manter.

Roberto Belisário É, isso acontece com uma montanha de gente. Eu comentei o seguinte com a Tatiana Nahas: "Parece que blogueiros de ciência têm prazo de validade. Em algum momento o ritmo cai. Até aí tudo bem. Assim são os blogs amadores. Porém, se isso está tendo reflexo na produtividade média dos blogs de ciência brasileiros, é porque não surgiram blogs novos, com blogueiros ainda "dentro do prazo de validade". A questão é: por quê."

Dirceu Dias Essa é uma boa questão. Merece ser investigada. Talvez outra questão esteja vinculada a sua questão. Como "nasce" um divulgador da ciência?

Roberto Belisário Os que eu vi, nasceram do incômodo e do tesão em explicar coisas para leigos. São pessoas que sentiram uma vontade de divulgar suficientemente intensa para fazê-los tomar as rédeas e virarem divulgadores. Eu, incluso. 

Aí tem o caminho das pedras, que
 caminho alguém que tem vontade de se meter com isso profissionalmente poderia fazer. Há os cursos de jornalismo científico, como os do Labjor/Unicamp. Mas acho que a melhor maneira é meter as caras. Escrever seus próprios blogs, facebucar, tuitar, fuçar fontes alternativas, aprender, conversar com gente. Dar vazão ao incômodo e à vontade. É impressionante as consequências que posts em blogs podem ter. A gente os deixa dependurados na Internet e algum tempo depois alguém nos procura com uma oportunidade.


Outros:
Como blogueiro de ciências vejo que realmente é difícil escrever sobre ciências. Qualquer tema (por mais simples que seja) merece uma boa pesquisa e um certo tempo de dedicação. Embora receber por escrever seja uma boa ideia (já que manter um site realmente gasta e ter pelo menos isso pago seria de grande ajuda), o maior problema é, de fato, o tempo disponível. Estou no fim da graduação e com planos futuros que acabam competindo pela atenção que o blog necessita.

Embora não tenha 'respondido' diretamente ao Takata, que começou com esse tipo de questão em seu blog, realmente o maior problema é a falta de tempo em sentar na frente do PC, pensar num tema bacana e escrever, pesquisar, descobrir que não sabia nada no assunto, pesquisar, pesquisar, escrever, achar imagens (de preferência em CC), ver se está certo, publicar. Não é nada fácil.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails