PESQUISA

Participe da votação sobre os melhores canais de divulgação científica em português na internet.

terça-feira, 30 de março de 2010

Penny no LHC

Manchetes de hoje, 30/mar/2010, sobre o reinício - finalmente - das atividades no LHC.

Estadão Superacelerador de partículas colide prótons e recria o 'Big Bang'
Folha Online Colisão de partículas simulando Big Bang chega a recorde
R7 Maior máquina do mundo consegue "imitar" origem do Universo
G1 LHC promove as primeiras colisões de partículas 'de laboratório' da história
NYTimes Large Hadron Collider Finally Smashing Properly

Estadão, Folha, R7: não tem quase nada a ver com Big Bang. Embora a energia envolvida seja recorde: 7 TeV* - é muito menor do que a energia que deveria haver, por exemplo, na era da grande unificação (GUT), com partículas de 1011 TeV. Na era de Planck, a energia deveria ser de 1016 TeV. A energia utilizada neste reinício de atividade - depois de uma série de problemas, incluindo migalhas de pão - é o suficiente para estudar partículas da época da separação entre a energia eletromagnética e a energia fraca - a transição de fase eletrofraca - da ordem de 1 TeV. Mas operações anteriores do próprio LHC já haviam atingido essa faixa.

A energia máxima para a qual o LHC foi projetado é de 7,5 14 TeV*. Então jamais a máquina irá desvendar o Big Bang. O principal objetivo do projeto é verificar a existência de bósons de Higgs e sua energia (massa). A massa dos bósons de Higgs tem implicações para a extensão da validade do Modelo Padrão a altas energias - na época em que o Universo se encontrava em um estado de plasma de quark-glúon.

G1: não são as primeiras colisões da história. Podemos considerar, p.e., os choques de partículas alfa contra folhas de ouro promovidas por Rutherford e seus alunos em 1909!

Pode cravar: o título do NYTimes é o mais fiel ao real valor do feito de hoje. (Eventualmente com os dados produzidos hoje pode ser que se encontre algo interessante - talvez os próprios bósons de Higgs - mas vai demorar um tempo até analisarem os resultados.)

Para acompanhar o desenvolvimento dos trabalhos no LHC, o melhor é acessar a página especial do próprio Cern.

Upideite(30/mar/2010): @renanpicoreti corrige: "as colisões de hoje foram com 7 TeV no centro de massa. 3,5 TeV por partícula. A energia máxima é de 14 TeV no CM, 7 por partícula."
Upideite(31/mar/2010): O mesmo Picoreti lista os erros em uma matéria de 30 segundos do JN em seu N-Dimensional.

9 comentários:

Ari disse...

Manchetes de jarnais são chamativas por natureza, ainda mais num assunto altamente complexo, onde somente poucos tem a dimensão do que está sendo estudado. Os mais ansiosos são os físicos que procuram alguma coisa que comprove a teoria das cordas (supersimetria), pois, se ela se mostrar errada, será muito difícil engolir que a física como conhecemos só pode explicar 4% de tudo que há no universo.

Joey Salgado disse...

Aff, que títulos de matérias mais estúpidos, tirando o do NYTimes. O conteúdo também não fica atrás, rs.

A matéria no Jornal Nacional sobre o LHC também foi grotesca, desde menções à "recriação do mundo", à procura pela "partícula de deus" (!?). Mas a minha parte *predileta* da reportagem foi quando o repórter comentou sobre a preocupação de algumas pessoas, de que o LHC poderia criar um buraco negro que sugaria tudo à sua volta. Fiquei atônito quando ouvi essas palavras.

Que jornalismo de horário nobre mais meia-boca... Tão precisando melhorar a assessoria deles sobre física.

Abração!

none disse...

Ari,

A esta energia é muito pouco provável que possam investigar algo mais diretamente relacionadas às cordas. (Brian Greene menciona - não me lembro se em "O Universo Elegante" ou se em "O tecido do cosmo" a possibilidade de investigar um aspecto particular de uma versão particular da teoria M.)

Joey,

Bem, "partícula de deus" é mesmo um dos nomes que deram aos bósons de Higgs, mas infelizmente isso leva mm a interpretações errôneas (como "Eva mitocondrial").

Já o "fala povo" dos telejornais é mm só pra encher linguiça. Difícil sair coisa que preste. Lá no Euclipo 2 chegaram a discutir um pouco isso. Qual o interesse da opinião de quem não sabe do que está falando?

[]s,

Roberto Takata

THiago_B disse...

Pelo falaram a noticia, o povo é ignorante mesmo, e apesar de não ser exatamente o big bang, comprova a teoria.
a informação foi dada quem quizer saber vai atraz pra ver a verdade, pena que quem faze isso é 1% da população.

Joey Salgado disse...

Puisé, Takata, a falta de zêlo na produção dessas notícias parece ocorrer por mero desdém. Se ninguém vai entender, para que ter mais cuidado ou dar uma informação mais embasada?

Uma pena. Um experimento tão bonito... rs!

Abraço!

none disse...

Salve, Thiago B,

A teoria do Big Bang é bem apoiada por vários indícios, como a radiação cósmica de fundo. O LHC tem pouco a contribuir com isso.

O que os resultados podem ajudar é a esclarecer como foram os momentos iniciais do Universo - depois de 10^-36 até 10^-12 s após o Big Bang. (Claro, tb pode ser que os resultados sejam incompatíveis com a teoria corrente sobre a matéria e aí os cientistas terão que reformular tudo.)

[]s,

Roberto Takata

Ari disse...

Takata,
Sim, a energia é muito baixa, mas em 2011 eles querem chegar a 14 Tev e tem esperanças de que, de algum modo, apareçam sinais que indiquem que a teoria das cordas pode estar correta, ou melhor, não pode ser descartada.

Ari disse...

Corrigindo: Só em 2013 eles chegarão a 14 Tev, e aí talvez algo como a supersimetria apareça.

none disse...

Talvez apareçam partículas supersimétricas. O problema é que as versões da teoria M não prevêem as massas dessas partículas.

[]s,

Robero Takata

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails