PESQUISA

Participe da votação sobre os melhores canais de divulgação científica em português na internet.

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Quente ou frio? Quente - frio em alguns lugares, às vezes.

O jornalista Luis Nassif com alguma frequência posta textos de negacionistas climáticos em seu blogue - uma dessas postagens me levou a escrever uma série sobre as bases científicas da hipótese do aquecimento global antropogênico. A cada postagem dessa natureza, vários comentários de leitores exibem preocupante grau de desconhecimento sobre o tema. (Infelizmente Nassif só raramente publica textos de cientistas sérios que rebatem as bobagens dos negacionistas.)

Desta vez postou um texto muito mal traduzido por um leitor (aparentemente copiando e colando em um desses tradutores automáticos). Basicamente uma crítica a respeito das explicações sobre os invernos rigorosos e de intensa precipitação de neve em regiões do Hemisfério Norte. Para os negacionistas isso seria uma desculpa esfarrapada dos climatologistas para o que seria uma negação do fenômeno do aquecimento global.

O que as pessoas devem ter em mente é que essas temperaturas mais baixas do que a média e nevascas *não* ocorrem em todo o Hemisfério Norte: é mais na Europa, leste da Ásia e leste da América do Norte. E durante o *inverno*. No Ártico, continua-se a detectar aumento de temperatura - mesmo durante o inverno (naturalmente, comparando-se com a média dos meses de inverno). A temperatura média *anual* continua a subir, mesmo no Hemisfério Norte. Mesmo nas regiões em que se faz mais frio no inverno.


Figura 1. Variação da temperatura em Novembro de 2010 em relação à média do período de 1951 a 1980. Fonte: GISS/Nasa.



Figura 2. Variação da temperatura no verão do Hemisfério Norte de 2010 em relação à média do período de 1951 a 1980. Fonte: GISS/Nasa.


Figura 3. Variação da temperatura média anual de 2009 em relação à média do período de 1951 a 1980. Fonte: GISS/Nasa.


Figura 4. Variação da temperatura no inverno do Hemisfério Norte de 2008/2009 em relação à média do período de 1951 a 1980. Fonte: GISS/Nasa.

Vejam como, em todas as situações, as áreas quentes (amarelada a avermelhada) são muito maiores do que as áreas mais frias (tons de azul)*. Mesmo no inverno do Hemisfério Norte, as regiões mais frias totalizam uma área menor do que as regiões mais quentes. E na média anual, mesmo as regiões que aparecem mais frias no inverno do Hemisfério Norte apresentam um aquecimento. Repare-se como a região Ártica é a que apresenta maior aquecimento e mais ainda no inverno.

As regiões do Hemisfério Norte que ficam mais frias no inverno o ficam por causa das alterações que fazem com que fiquem mais expostas às massas de ar que vêm do Ártico. Espere aí, como assim ficam mais frias com o ar do Ártico? O Ártico não está mais quente? Sim, está. Mas está mais quente para o *Ártico*. Passou de -35~-40oC para cerca de -25~-30oC. Isso ainda é muito frio na Europa. (Basta pensar no alemão que tira a roupa de calor com 15oC, enquanto um cearense estaria tremendo de frio a essa temperatura.)

*Upideite(31/dez/2010): Teria que fazer uma correção por conta da distorção de área gerada pela projeção. O inverno 2009/2010 foi bem mais rigoroso:

Figura 5. Variação da temperatura no inverno do Hemisfério Norte de 2009/2010 em relação à média do período de 1951 a 1980. Fonte: GISS/Nasa.

Porém, ainda assim o ano de 2010 será uma dos mais quentes da série histórica.

2 comentários:

Roberto G. S. Berlinck disse...

Ah, o verdadeiro entendimento dos fatos... Como é importante.

abraços, e bom ano novo Takata.

none disse...

Salve, Berlinck,

Valeu. Pra vc e sua família também um ótimo Ano NOvo.

[]s,

Roberto Takata

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails