PESQUISA

Participe da votação sobre os melhores canais de divulgação científica em português na internet.

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Carne vermelha, processada e câncer 2

Ok, pelos melhores dados disponíveis, o consumo de carne processada aumenta o risco de câncer e provavelmente o consumo elevado de carne vermelha também.

Não há motivo para alarme, embora haja boas razões para se moderar no consumo de carne, em especial, das processadas. Considerando-se o provável perfil socioeconômico dos leitores deste blogue, a redução da ingestão seria aconselhável: não apenas por causa do câncer, mas por causa dos riscos de doenças cardiovasculares e diabetes.

Mas é bom colocar em uma perspectiva global quando se consideram políticas nacionais e não apenas orientações específicas para determinados indivíduos.

As estimativas de câncer colorretal no Brasil são de 32.600 novos casos por ano. Isso corresponde a 1,14% de chances de um indivíduo desenvolver câncer colorretal em um prazo de 70 anos. Segundo a Pesquisa de Orçamento Familiar de 2008/9, o brasileiro consumia 74,6 g de carne vermelha por dia e 15,8 g diários de carne processada. Pelos dados da OECD/FAO, o consumo é praticamente idêntico: 39,3 kg/habitante-ano em 2014. 107,7 g por dia em peso de carcaça em carnes vermelhas - o que corresponde a 78,17 g em carne pra consumo.

Considerando os valores do POF para consumo de carne processada a estimativa da OECD/FAO para carne vermelha, isso corresponde a um risco 18,98% aumentado.

Se os 200 milhões de brasileiros virassem vegetarianos, o risco médio de se desenvolver durante a vida câncer colorretal seria de 0,96%. E seriam evitadas cerca de 2.800 mortes por ano em decorrência do câncer de intestino grosso e reto.

Em 2015, 10,8% dos brasileiros fumam. Por ano, 27.330 novos casos de câncer no pulmão são diagnosticados no Brasil; com ocorrência de 24.490 mortes. 90% dos casos são relacionados ao consumo de tabaco. Mais de 22.000 mortes por ano seriam evitadas se os 21,5 milhões de brasileiros tabagistas deixassem de fumar. O risco de se desenvolver câncer pulmonar ao longo da vida sem fumar é de 0,09%. Os fumantes têm uma chance de 7,98% de desenvolver câncer pulmonar em algum momento da vida. Os R$ 41 milhões anuais do Programa Nacional de Controle do Tabagismo têm evitado cerca de 7.500 mortes anuais - R$ 5.360 por morte evitada.

Não encontrei o valor dos investimentos na "Campanha Nacional de Enfrentamento do Câncer Colorretal". Mas, considerando que em 2012, o consumo per capita médio era de 101,64 g/dia em equivalente de carcaça ou 73,87 g/dia em carne, ainda não surtiu muito efeito nos hábitos alimentares cárneos do brasileiro.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails