PESQUISA

Participe da votação sobre os melhores canais de divulgação científica em português na internet.

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Carne vermelha, processada e câncer

Já que estamos falando de câncer...

A Agência Internacional de Pesquisa do Câncer (IARC), ligada à Organização Mundial da Saúde, anunciou as conclusões gerais do relatório sobre a carcinogenicidade do consumo de carne vermelha e carne processada (como salsichas, linguiças, bacon...).

Uma dieta com alto consumo de carne vermelha foi classificada como "provavelmente carcinogênica a humanos" baseado em "indícios epidemiológicos limitados" (isto é, apesar da associação encontrada, a influência de outros fatores não pode ser excluída) de que há associação positiva entre consumo de carne vermelha e a incidência aumentada de câncer colorretal e em "indícios fortes de mecanismo explicativo".

O alto consumo de carne processada foi classificado como "carcinogênico a humanos" baseado em "indícios epidemiológicos suficientes" de que o consumo de carne processada causa aumento de incidência de câncer colorretal.

Traduzo abaixo parte do documento com perguntas e respostas elaborado pela IARC.
Atenção: não sou oncologista, não trabalho com pesquisa do câncer. Fiz o meu melhor esforço na tradução, mas não acredite no meu trabalho: deixei o link para o texto original para que se possa fazer a conferência. Siga as recomendações das autoridades sanitárias e médicas e de seu médico/nutricionista de confiança.
------------------------------
P. O que é considerado carne vermelha?
R. Carne vermelha se refere a toda carne muscular de mamífero, incluindo carne bovina, vitela, suína, carneiro, cavalo e bode.

P. O que é considerado carne processada?
R. Carne processada se refere à carne que foi transformada pela salga, cura, fermentação, defumação e outros processos para salientar o sabor e melhorar a conservação. A maioria das carnes processadas contém carne suína ou bovina, mas carnes processadas podem conter também outras carnes vermelhas, aves, miúdos e subprodutos como sangue. Exemplos de carnes processadas incluem salsichas, presunto, embutidos, carne enlatada, carne seca, bem como preparados e molhos a base de carne.

P. Carne processada foi classificada como carcinogênica a humanos (Grupo 1). Fumo e asbesto também são classificados como carcinogênicos a humanos (Grupo 1). Isso quer dizer que o consumo de carne processada é tão carcinogênico quanto o fumo e o asbesto?
R. Não. Carne processada foi classificada na mesma categoria de fumo e asbesto como causa de câncer (IARC Grupo 1, carcinogênico a humanos), mas isso NÃO significa que eles sejam igualmente perigosos. As classificações da IARC descrevem a força dos indícios científicos sobre um agente ser causador de câncer, e não avalia o nível do risco.

P. Que tipos de câncer são ligados ou associados ao consumo de carne vermelha?
R. O indício mais forte, mas ainda limitado, de associação com o consumo de carne vermelha é para o câncer colorretal. Há também indícios de ligação com câncer pancreático e de próstata.

P. Que tipos de câncer são ligados ou associados ao consumo de carne processada?
R. O grupo de trabalho da IARC concluiu que o consumo de carne processada causa câncer colorretal. Associação com câncer de estômago foi vista, mas os indícios não são conclusivos.

P. Quantos casos de câncer por ano pode ser atribuídos ao consumo de carne processada e vermelha?
R. De acordo com as estimativas mais recentes feitas pela Global Burden of Disease Project, organização independente de pesquisa acadêmica, cerca de 34.000 mortes por câncer no mundo são atribuíveis a dietas com alta quantidade de carne processada.

O consumo de carne vermelha ainda não foi estabelecido como causa de câncer. No entanto, se se provar que as associações relatadas são causais, o Global Burden of Disease Project estimou que dietas com alta quantidade de carne vermelha seriam responsáveis por 50.000 mortes por câncer no mundo.

Esses valores contrastam com cerca de 1 milhão de mortes por câncer ao ano no mundo devido ao fumo, 600.00 mortes anuais por consumo de álcool e mais de 200.000 mortes anuais por poluição do ar.

P. É possível de quantificar o risco do consumo de carne vermelha e processada?
R. O consumo de carne processada foi associadoa acom um pequeno aumento no risco de câncer nos estudos revisados. Nesses estudos, o risco geralmente aumenta com a quantidade de carne consumida. Uma análise dos dados de 10 estudos estimou que a cada porção de 50 gramas de carne processada consumida diariamente* aumenta o risco de câncer colorretal em cerca de 18%.

O risco de câncer relatado para o consumo de carne vermelha é mais difícil de se estimar porque os indícios de que carne vermelha causa câncer não é tão forte. No entanto, se a associação entre carne vermelha e câncer colorretal se mostrar causal, os dados dos mesmos estudos sugerem que o risco de câncer colorretal pode aumentar em 17% para cada porção de 100 gramas de carne vermelha consumida diariamente*.

P. O risco é maior para crianças, idosos, mulheres ou para homens? Algumas pessoas estão sob risco maior?
R. Os dados disponíveis não permitem conclusões sobre se os riscos diferem entre grupos diferentes de pessoas.

P. E quanto as pessoas que tiveram câncer de colo? Elas deveriam parar de comer carne vermelha?
R. Os dados disponíveis não permitem conclusões sobre riscos de pessoas que já tiveram câncer.

P. Eu devo parar de comer carne?
R. É sabido que o consumo de carne traz benefícios à saúde. Várias recomendações nacionais de saúde aconselham as pessoas a ingerirem uma quantidade limitada de carne processada e vermelha, que são ligadas a riscos aumentados de mortes por doenças cardíacas, diabetes e outras doenças.**

P. Que quantidade de carne é segura de se consumir?
R. Os riscos aumentam com a quantidade de carne consumida, mas os dados disponíveis para avaliação não permitem uma conclusão a respeito de se existe um nível seguro.

P. O que faz a carne vermelha e processada aumentarem o risco de câncer?
R. A carne é composta por múltiplos componentes, como ferro hêmico. A carne também contém compostos que se formam durante o processamento ou cozimento. Por exemplo, compostos carcinogênicos que se formam durante o processamento incluem compostos N-nitrosos e hidrocarbonetos policíclicos aromáticos. Cozinhar carne vermelha e processada também produz aminas aromáticas heterocíclicas, bem como outros compostos incluindo hidrocarbonetos policíclicos aromáticos, que é encontrado também em outros alimentos e na poluição do ar. Alguns desses compostos são sabidamente carcinogênicos ou suspeita-se que sejam, mas a despeito desse conhecimento ainda não se compreende completamente como o risco de câncer é aumentado pelas carnes vermelha e processada.

P. Qual a recomendação da OMS para a prevenção do risco de câncer associado ao consumo de carne vermelha e processada?
R. A IARC é uma organização de pesquisa que avalia os indícios disponíveis sobre as causas de câncer, mas não faz recomendações de saúde como tais. Governos nacionais e a OMS são responsáveis por desenvolver orientações nutricionais. Esta avaliação pela IARC reforça a recomendação de 2002 da OMS de que as pessoas que comem carne deveriam moderar o consumo de carne processada para reduzir o risco de câncer colorretal. Algumas outras orientações alimentares também recomendam limitar o consumo de carne vermelha ou processada, mas estas são focas principalmente em reduzir a ingestão de gordura e sódio, que são fatores de risco para doenças cardiovasculares e obesidade. Indivíduos preocupados com câncer podem considerar reduzir seu consumo de carne vermelha e processada até orientações atualizadas relacionadas especificamente ao câncer sejam desenvolvidas.

P. Devemos comer apenas aves e peixes?
R. Os riscos associados ao consumo de aves e peixes não foram avaliados.

P. Devemos nos tornar vegetarianos?
R. Dietas vegetarianas e dietas que incluem carne têm diferentes vantagens e desvantagens para a saúde. No entanto, esta avaliação não compara diretamente riscos à saúde entre pessoas vegetarianas e que comem carne. Esse tipo de comparação é difícil porque esses grupos podem ser diferentes entre si de outras maneiras além do consumo de carne.

P. Há um tipo de carne vermelha que é mais segura?
R. Alguns poucos estudos investigaram os riscos de câncer associados com diferentes tipos de carne vermelha, como bovino ou de porco, e diferentes tipos de carnes processadas, como presuntos e salsichas. No entanto, não há informação suficiente para se dizer se riscos mais atos ou mais baixos são relacionados ao consumo de qualquer tipo particular de carne vermelha ou processada.

P. O método de conservação pode influenciar no risco (e.g. salga, congelamento profundo ou irradiação)?
R. Métodos de conservação diferentes podem resultar na formação de carcinogênicos (e.g. compostos N-nitrosos), mas se e quanto isso contribui com o risco de câncer é desconhecido.

P. Quantos estudos foram avaliados?
R. O Grupo de Trabalho da IARC considerou mais de 800 diferentes estudos sobre câncer em humanos (alguns estudos forneceram dados para os dois tipos de carne; no total, mais de 700 estudos epidemiológicos forneceram dados para carne vermelha e mais de 400 estudos epidemiológicos forneceram dados para carne processada).
------------------------------

 *Obs1. A expressão "diariamente" aqui é importante. Esse risco não é o mesmo para consumo ocasional - certamente bem inferior a isso. Por outro lado, claro não quer dizer que se se deixar de comer ocasionalmente - digamos consome-se cinco dias por semana -, o risco seja evitado ou sensivelmente diminuído.
**Obs2. O documento evita dar conselhos definitivos e categóricos a respeito do consumo de carne, pois envolve decisões pessoais (quando as leis e costumes locais assim o permitem) sobre o quanto de risco e custos as pessoas estão dispostas a assumir ao manter ou modificar certos comportamentos tendo em vista as recompensas que desejam obter: nutrição, prazer, ponderações éticas, evitação de doenças, diminuição de impacto socioambiental... As informações disponíveis são probabilísticas - nível de risco - e incompletas. É um cenário bastante frequente em decisões pessoais. Temos que saber lidar com isso.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails