PESQUISA

Participe da votação sobre os melhores canais de divulgação científica em português na internet.

sábado, 28 de novembro de 2009

Dos email roubados dos cientistas do IPCC

Não tenho por hábito comentar aqui no calor dos acontecimentos (em outros lugares sou menos, digamos, comedido) - na maior parte das vezes há ganho substancial: pois novos dados ajudam a esclarecer o que durante a hype ainda são apenas suposições ou mudam radicalmente as impressões iniciais.

Desse modo não queria comentar tão já a questão dos emails de pesquisadores da Climatic Research Unity que foram roubados do servidor da University of East Anglia, mesmo após alguns blogues influentes terem dado guarida (acrítica, na minha opinião) à tese conspiracionista de adulteração* por parte dos panelistas do IPCC: aqui e aqui. Mas um representante (representante aqui no sentido de espécime, indivíduo que pode ser classificado em um dado grupo)* dos negacionistas climáticos - cujas objeções à hipótese do aquecimento global já foram publicadas (e comentadas) no GR: aqui, aqui, aqui e aqui - adiantou-se nos comentários do blogue.

Não tenho muito (nada) a acrescentar às análises já feitas alhures por outrem. Recomendo estes textos:
The hacked climate science email scandal that wasn't
The CRU hack: Context
Climagate (só para assinantes)**
Climatologists under pressure***
ClimateGate: EXTRA! Cientistas conversam entre si!****

Esse episódio apenas reforça a minha impressão geral de que os negacionistas climáticos estão mais comprometidos com sua ideologia do que com bons dados: exatamente o que parte deles acusam os defensores da hipótese do aquecimento global antropogênico de serem.

Quanto à base de dados, os pontos gerais foram comentados na série sobre o aquecimento global: aqui, aqui e aqui.

Não colocarei o link aqui para as fontes onde podem ser obtida cópia dos emails roubados. Mas podem ser facilmente obtidas com uma busca rápida. São quase 62 MB abrangendo um período de 13 anos de troca de mensagens eletrônicas - mas está longe de ser uma base completa. Até o momento, o máximo que encontraram foi uma menção ao termo "trick" ("truque") para se referir a um modo de se compatibilizar duas bases de dados de temperatura.

From: Phil Jones
To: ray bradley ,mann@xxx, mhughes@xxx
Subject: Diagram for WMO Statement
Date: Tue, 16 Nov 1999 13:31:15 +0000
Cc: k.briffa@xxx,t.osborn@xxx


Dear Ray, Mike and Malcolm,

Once Tim's got a diagram here we'll send that either later today or
first thing tomorrow.

I've just completed Mike's Nature trick of adding in the real temps
to each series for the last 20 years (ie from 1981 onwards) amd from
1961 for Keith's to hide the decline. Mike's series got the annual
land and marine values while the other two got April-Sept for NH land
N of 20N. The latter two are real for 1999, while the estimate for 1999
for NH combined is +0.44C wrt 61-90. The Global estimate for 1999 with
data through Oct is +0.35C cf. 0.57 for 1998.
Thanks for the comments, Ray.

Cheers
Phil

Prof. Phil Jones
Climatic Research Unit Telephone +44 (0) 1603 592090 +44 (0) 1603 592090
School of Environmental Sciences Fax +44 (0) 1603 507784
University of East Anglia
Norwich Email p.jones@xxx

Para a explicação da expressão "hide the decline": aqui. Na dendroclimatologia - que envolve a avaliação da temperatura passada por meio do crescimento em anéis das árvores -, os dados desde 1850 até 1960 são compatíveis com os obtidos a partir de modelos que usam esses anéis; mas a partir da década de 1970, os registros de temperatura passam a divergir: os dados extrapolados a partir dos anéis indicam uma temperatura em declínio e os registros diretos das temperaturas (direto não é o termo exato, já que se valem de termômetros - isto é, a leitura na verdade é indireta - depende da leitura dos termômetros, em particular da altura da coluna do fluido, mercúrio ou álcool) indicam aquecimento. Phil Jones desenvolveu um modo, um "truque", que faz com que os dados dendroclimatológicos sejam compatíveis com os registros diretos de temperatura - esse a base desse* "truque" foi publicado no artigo de 1998 na Nature. Portanto, nada de escândalo real. Próximo!

*(29/nov/2009): atualizado a esta data.
**(29/nov/2009): atualizado a esta data. Observação impertinente: de fato, em alguns lugares, chamam a questão dos emails de 'climategate', bem ao gosto da Folha, que nomeia todo escândalo (real ou não) de X-gate: Collorgate, Dilmagate, Sarneygate... (qualquer dia ainda teremos: Colgate, Billgates, stargate).
***(02/dez/2009): atualizado a esta data.
****(03/dez/2009): atualizado a esta data.

17 comentários:

Aranha disse...

Com licença, Takata.

Não sou representante de ninguém. Minha área é a computação. Mas sou curioso e quando fui pesquisar sobre a teoria do aquecimento global, não encontrei UMA EVIDÊNCIA QUALQUER, de que o aquecimento ATÉ 1998, teria sido causao por ações humanas.

Quanto ao termo TRICK (truque, sabotagem, etc), me desculpe, mas o cara é um mentiroso, pois ele mesmo aos ser indagado, disse não se lembrar do contexto na época. Puts!!!

É triste, mas é necessário dizer: pior do que o aquecimento global é uma mentira deslavada.

Enquanto os anéis se encachavam na historinha da Margareth Thatcher, IPCC, Thomas Mann e Cia, eles eram bem-vindos. Depois que os dados não batiam mais, aí partiram para o truque do taco de hoquei que já foi desmascarado a tempos. Prova disto é que o taco de hoque de T. Mann foi publicado no rel. IPCC 2001 e teve que ser retirado no relatório do IPCC de 2007.

De certa forma, o que os e-mails estão mostrando, os cientistas do IPCC já mostraram de certa forma nos relatórios do IPCC: muita mentira e manipulação de revisões.

ps. e deixa de frescura com esse lance de adi hominens. Ponha a prequiça ou o medo de lado, e corra atrás para ler os e-mails. Não tenha medo da verdade. Um bom cientista se mostra grande quando reconhece que suas idéias estavam erradas.
Até Isaac Newton estava errado, por que não, nós?

Aranha disse...

"Mas um representante dos negacionistas climáticos - cujas objeções à hipótese do aquecimento global já foram publicadas (e comentadas) no GR"

Parabéns, Takata. Pelo jeito, você pelo menos passa a reconhecer que não existe unanimidade na questão.

Afinal, onde já se viu debates em uma questão considerada unânime?

none disse...

Aranha,

Eu *nunca* disse que havia unanimidade. Vide a nossa discussão a respeito de *consenso*.

Parte dos indícios estão apresentados na série aqui publicada sobre aquecimento global. São dados de correlação, experimentos em laboratório e simulação por computador.

[]s,

Roberto Takata

Aranha disse...

Desculpe, Takata. Queria dizer consenso. Mas não muda nada. Sua frase evidencia que não existe consenso.

Evidência por simulação de computador??? Onde os parâmetros de entrada fazem com que o co2 tenha mais peso que demais fatores?

Paciência......

Quero evidências, bicho. Uma , uma uma uma uma em 3 anos buscando ninguém me deu uma sequer!!!!!!!!

none disse...

O consenso (a favor da hipótese do aquecimento global) continua a existir entre os cientistas climáticos. As bases ainda são as mesmas. Salvo se uma nova pesquisa de opinião mostrar número diferentes.

Sim, indício por simulação por computador. Como as simulações de formação de galáxias. Essas simulações são retrotestadas - verificando como as temperaturas passadas, com registros conhecidos, se comportam nesses modelos.

O que temos então são *três* grandes linhas independentes que sustentam o aquecimento global antropogênico.

O forçante radioativo do CO2 é calculado tendo por base o perfil do espectro de absorbância do gás. Pega-se uma amostra do gás em condições determinadas de temperatura e pressão parcial e submete-se a amostra à iluminação por uma fonte com comprimento de onda e intensidade conhecidos. Com um sensor e um medidor verifica-se quanto da luz foi absorvida pela amostra. Faz-se isso para todo o espectro solar. Integrando a curva é possível se estimar a fração da luz incidente que é absorvida pelo gás.

Compara-se isso com os perfis de outros componentes atmosféricos e com as alterações do albedo promovida por mudanças no uso de terra, nucleação de nuvens, etc.

Esses parâmetros são inseridos nos modelos climáticos.

[]s,

Roberto Takata

Ari disse...

O consenso existe só na mídia. Há estudos (por exemplo Roger Pielke Senior) que dizem que a sensibilidade da atmosfera é pequena para duplicação de CO2. Cito esse cientista porque ele foi sabotado por essa turma quando apresentou estudos nesse sentido. Não há só TRICK nos emails. Leia a página dele na internet e verá coisas bem piores que TRICK. A crise é realmente séria. Veja o que aconteceu com Phil Jones, leia uma página do realclimate.org de hoje e de um mes atrás. Hora de reflexão.

Ari disse...

O IPCC cita que as geleiras do Himalaia vão acabar em 2.035. Quem poderia imaginar que a BBC publicaria isso (http://news.bbc.co.uk/2/hi/science/nature/8355837.stm)apenas um mês atrás?

none disse...

Ari,

Sobre o consenso, sugiro você dar uma lida em minha discussão com o Aranha.

http://genereporter.blogspot.com/2009/04/aquecimento-global-parte-1-de-3_28.html

Quanto à reflexão *sempre é hora.

Em relação ao RealClimate, talvez seja melhor você apontar as diferenças que vê - eu não percebo alteração.

Das geleiras, o que há é um grupo contestando - e para o Himalaia. Isso é saudável na medida em que se baseiem em análise de *dados*. Faz parte da ciência.

Agora, em relação ao quadro geral, o cenário de aquecimento é bem robusto.

Prever consequências específicas é bem mais incerto.

Ari disse...

Um exemplo de como o consenso foi construido http://pielkeclimatesci.wordpress.com/2009/11/26/e-mail-documentation-of-the-successful-attempt-by-thomas-karl-director-of-the-u-s-national-climate-data-center-to-suppress-biases-and-uncertainties-in-the-assessment-surface-temperature-trends/
Gavi/Realclimate.org era só auto elogios e desprezo pela opinião alheia. Hoje ele responde educadamente às dúvidas.
Que bom que há contestação, né? Até um mês atrás esse estudo seria considerado um trabalho de negadores e seria ignorado. Ninguem em sâ conciencia nega que há aquecimento. Qual a contribuição do CO2 para isso? Alta ou baixa sensibilidade? Qual a contribuição real do uso do solo? Das nuvens?
O que acontece é que aqueles que tentaram contribuir para o debate com outra visão foram calados de forma nada científica. Não aceito mais que venham com ar de professor e superioridade para dizer que não há necessidade de debate. "a ciência está resolvida". O ártico vai ficar sem gelo em 2012, as geleiras vão acabar, etc. e nínguem veio a público para dizer que não era bem assim... Queira ou não o ceticismo está no cerne da ciência. E não misture no mesmo barco "negadores" e céticos que só querem contribuir.

Ari disse...

Um exemplo de como o consenso foi construido http://pielkeclimatesci.wordpress.com/2009/11/26/e-mail-documentation-of-the-successful-attempt-by-thomas-karl-director-of-the-u-s-national-climate-data-center-to-suppress-biases-and-uncertainties-in-the-assessment-surface-temperature-trends/
Gavi/Realclimate.org era só auto elogios e desprezo pela opinião alheia. Hoje ele responde educadamente às dúvidas.
Que bom que há contestação, né? Até um mês atrás esse estudo seria considerado um trabalho de negadores e seria ignorado. Ninguem em sâ conciencia nega que há aquecimento. Qual a contribuição do CO2 para isso? Alta ou baixa sensibilidade? Qual a contribuição real do uso do solo? Das nuvens?
O que acontece é que aqueles que tentaram contribuir para o debate com outra visão foram calados de forma nada científica. Não aceito mais que venham com ar de professor e superioridade para dizer que não há necessidade de debate. "a ciência está resolvida". O ártico vai ficar sem gelo em 2012, as geleiras vão acabar, etc. e nínguem veio a público para dizer que não era bem assim... Queira ou não o ceticismo está no cerne da ciência. E não misture no mesmo barco "negadores" e céticos que só querem contribuir.

Ari disse...

Takata,
Desculpe a duplicidade, overificador pediu para repetir os caracteres. Outra coisa, depois que li o que escrevi (devia ter feito antes), ficou a impressão de que esta referindo a você quando falei de professor... Na verdade me referi a essa turma dos emails. Você já pode ter lido, mas caso não, sugiro a leitura do que tem a dizer Richard Lindzen (WSJ) e Roy Spencer. Me pareceu muito sensato.


asbraços

none disse...

"Um exemplo de como o consenso foi construido..."

A página mostra apenas uma crítica a um discurso que atribui toda alteração local a um aquecimento global. Do tipo: "Katrina? Aquecimento global", "Seca no Azerbaijão? Aquecimento global.", "Praga de gafanhotos no Sudão? Aquecimento global.", "Unha encravada? Aquecimento global."

"Ninguem em sâ conciencia nega que há aquecimento."

Infelizmente há uma boa parcela que não teria então uma consciência tão sã...

"Qual a contribuição do CO2 para isso? Alta ou baixa sensibilidade? Qual a contribuição real do uso do solo? Das nuvens?"

Ótimas questões. Os estudos das forçantes radioativas procura responder a isso. Pelos melhores dados atuais, o CO2 é o elemento individual que causa a maior contribuição para o aumento. Os aerossóis são mais incertos - em tese haveria a possibilidade dele compensar o aumento provocado pelos gases-estufa, mas o teor de aerossóis está diminuindo: então o efeito do fator 'aerossol' seria tb de aumento (e nem seria solução poluir o ar com partículas sólidas) - e a maior parte é tb antropogênica.

Qto aos "céticos que só querem contribuir", preciso ser apresentado a eles...

[]s,

Roberto Takata

Ari disse...

Takata,

Obrigado pela resposta. É exatamente o que eu queria dizer. Hoje se atribui tudo ao aquecimento global, sem um pingo de reflexão. Quanto aos céticos eu apresentei tres opções. Alias, cético ja foi condição essencial para ser cientista. Hoje parece que ser crente é fundamental... O link que apresentei tem muito mais informações, leia até o final.

Avelino Bego disse...

Eu noto que muitos até torcem para os que o aquecimento Global seja uma mentira, pois assim, não precisarão largar o seu conforto da vida moderna. O interesse econômico para que o Aquecimento Global seja desmoralizado é enorme. Despejamos na natureza milhões de toneladas de carbono que a própria natureza demorou milhares de anos para absorver. Eis as evidências: http://pt.wikipedia.org/wiki/Aquecimento_global#Evid.C3.AAncias_do_aquecimento_global

Ari disse...

Sobre peer-review:

http://pajamasmedia.com/blog/pielke-sr-climategate-emails-just-a-small-sample-of-a-broad-issue-pjm-exclusive/

Se não tiver pré-conceito, ler.

Ela disse...

mídia: o quarto poder não tem a menor vergonha de prosperar interesses sem fazer um debate inicial, a globo por exemplo ficou anos sem tocar no assunto e nos últimos 2 anos vem com reportagens no seu maior veículo de alienação que é o fantástico já com uma opinião formada, sem abertura para discussão. Já de inicio é aquecimento global antropologico é pronto.
Engraçado que alguns dos pesquisadores mais respeitados inclive alguns de IPCC e o brasileiro mais engajado no assunto Luiz Carlos Molion são considerados hereges, o exterminador do futuro e o bilionário dono da CNN são ouvidos pela mídia assim como os índios ouviam os padres jesuítas...
Sabia que não ia demorar muito para que os seguidores da onda momentânea atrelarem o que eles não querem ao comunismo como se fosse o mal absoluto.
Bem, essa foi a campanha da mídia ocidental após a segunda guerra, trazer o comunismo como o mal absoluto mostrando exemplos como URSSS e bla bla bla...
Com certeza os afegãos e os palestinos são mais adptos ao comunismo de do que o capitalismo de BUsh.
Enfim, minha opinião é que não demora muito para as transações sejam tarifadas com algum tipo de imposto do clima, é isso aí vamos pagar para respirar. Os banqueiros internacionais devem estar felizes agora em seus pinicos de ouro.

none disse...

Ela,

Não comuno com sua opinião como deve ter percebido.

Mas seja bem-vinda. E obrigado pela visita e pelo comentário.

[]s,

Roberto Takata

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails